sexta-feira, 21 de junho de 2013

Apavorada, Itália pede contato com liderança de manifestantes

Apesar de ter classificado de “estúpida” a especulação de que poderia abandonar a Copa das Confederações por medo da insegurança decorrente dos manifestos de rua no Brasil, a Seleção da Itália está apavorada e chegou a pedir uma interlocução com o que seria uma liderança das manifestações na capital baiana.
A solicitação teria sido feita a um jornalista baiano que cobre a apresentação do time italiano, o qual vai jogar contra a Seleção do Brasil amanhã, na Arena Fonte Nova. A principal alegação dos italianos para fazer o pedido seria a de que a direção do time não tem uma dimensão exata do que acontece no país, motivo porque não sabe de que forma seus jogadores poderiam ser afetados pelos protestos.
Os jogadores se queixariam principalmente do tratamento da Fifa, organizadora da Copa, que, segundo eles, não estaria lhes repassando as informações solicitadas sobre o movimento de rua que toma conta de todo o país. A insegurança do time italiano teria se ampliado com o afastamento do presidente da Fifa, Joseph Blatter.
Descumprindo uma promessa de permanecer no Brasil durante todo o evento, Blatter deixou o país e viajou na quarta-feira à Turquia  para a cerimônia de abertura do Mundial Sub-20, que começou hoje. O jornalista contactado pelo time italiano tentava hoje pela manhã descobrir o nome de alguma liderança dos manifestantess para colocar em contato com a seleção estrangeira.
Para evitar o recrudescimento da tensão no time italiano e o fortalecimento da idéia de abandono do jogo, um pedido teria sido feito à Rede Globo para que evitasse divulgar imagens do choque entre a PM e manifestantes ontem em Salvador, onde várias pessoas ficaram feridas. Não se sabe se o pedido foi formulado pela Fifa ou o governo do Estado.
Apesar de a assessoria da Seleção Italiana ter negado, na mesma nota em que desmentiu o boato sobre o abandono da Copa, que as famílias dos jogadores os acompanhem na viagem à Bahia, policiais que dão cobertura ao time confirmaram a existência de várias mulheres e crianças na delegação.

fonte: politica livre