quinta-feira, 2 de maio de 2013


Primeira mulher em lista de procurados pelo FBI vive em Cuba



  • Joanne Chesimard matou um policial de Nova Jersey em 1973



Ex-integrante do Panteras Negras, Joanne Chesimard vive em Cuba
Foto: Julio Cortez / AP
Ex-integrante do Panteras Negras, Joanne Chesimard vive em Cuba Julio Cortez / AP
WASHINGTON - Uma americana de 65 anos é a primeira mulher a figurar entre a lista de terroristas procurados pelo FBI. Joanne Chesimard foi condenada pelo assassinato do policial Werner Foerster, em 1973. Presa em 1977 em Nova Jersey, Joanne fugiria para Cuba dois anos depois, onde estaria vivendo livremente desde 1984 com o nome de Assata Shakur. Chesimard integrou o grupo Panteras Negras e, posteriormente, o Exército de Libertação Negra descrita pelo FBI como “uma das organizações militantes mais violentos dos anos 70”.
O FBI dobrou a recompensa estipulada para quem contribuir com a captura de Joanne. A quantia agora é de US$ 2 milhões. Segundo o órgão, a mulher trabalharia para governo cubano e levaria uma vida melhor do que a maioria dos cidadãos da ilha.
- Enquanto viver livremente em Cuba ela continua a manter e promover sua ideologia terrorista. Hoje, no aniversário da morte de soldado Werner Foerster, queremos que o público saiba que não vamos descansar até que esta fugitiva seja levada à Justiça – disse Aaron Ford, agente especial do FBI.
No site assatashakur.org, Chesimard diz que foi “forçada a fugir da repressão política, do racismo e da violência que dominam a política do governo dos EUA em relação às pessoas de cor”.
fonte: oglobo.