quarta-feira, 29 de maio de 2013

Justiça cancela contrato e tira Marina da Glória de Eike Batista

Marina da Glória, no Rio, que tem projeto de alteração feito por empresa de Eike Batista

A Justiça Federal cancelou o contrato de concessão da Marina da Glória para uma das empresas do bilionário Eike Batista. De acordo com uma decisão liminar da 11ª vara federal do Rio, o espaço que sediará as competições de vela durante a Olimpíada de 2016 deve voltar ao controle da Prefeitura do Rio de Janeiro. Ainda cabe recurso.

A liminar invalidou a concessão da Marina feita 1996 para a EBTE (Empresa Brasileira de Terraplanagem e Engenharia). Essa empresa, mais tarde, foi comprada pela REX, de Eike Batista, que assumiu o controle da marina. O espeço deve ser revitalizado para a Rio-2016.

O cancelamento do contrato atendeu a um pedido de dez usuários do espaço, os quais buscaram à Justiça por acreditarem que a concessão da marina não mantém a finalidade original do local: a náutica. O juiz Vigdor Teitel concordou e suspendeu o contrato.

“O desvirtuamento da destinação natural da Marina foi demonstrado pelos autores populares, que apontam a realização no local de feiras de moda, exposição e venda de veículos automotivos, eventos de música e dança, exposições sobre estágios e carreiras, campeonato de carros com som de maior potência, bem como a instalação de escritório de empresa de serviços de praticagem de navios e utilização do local para fundeio de embarcações da referida empresa”, declara o juiz.

A Marina da Glória está no centro de uma polêmica no Rio. Eike Batista pretende construir no local um centro de convenções. O projeto é contestado já que a marina é tombada pelo patrimônio histórico.


fonte: terceiro tempo