sábado, 18 de maio de 2013


Exército diz que Polícia Civil não estava autorizada a usar metralhadora na Favela do Rola





Após analisar a pedido do EXTRA o vídeo da operação da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) na Favela do Rola, o Comando do Exército confirmou ontem que uma das armas usadas na ação é uma MAG 7.62, um tipo de metralhadora leve que a Polícia Civil não está autorizada a usar.
Na operação da Favela da Coreia, em abril do ano passado, a equipe da Core também usava uma MAG, que teria sido emprestada pela Polícia Federal à Polícia Civil. A PF não confirmou isso.
A análise do Exército, responsável por definir quais armas cada força de segurança pode usar, desmente a afirmação do subchefe operacional da Polícia Civil, delegado Fernando Velloso, que disse em entrevista coletiva na última segunda-feira que não usava uma MAG na ação.
— Nas imagens a que eu assisti, não havia uma MAG, elas exibiam dois fuzis 7.62 Nas imagens do jornal, apareciam dois fuzis 7.62 e não uma MAG. — disse Velloso.
Trecho do vídeo em que aparece a MAG
Trecho do vídeo em que aparece a MAG Foto: Reprodução
De acordo com o delegado da Polícia Federal Daniel Gomes Sampaio, que esteve por 15 anos à frente do Comando de Operações Táticas, a tropa de elite da PF, não há dúvida de que se trata de uma MAG. Além dela, são usados ali dois fuzis de assalto leve (FAL), do mesmo calibre. Apenas a Polícia Federal e as polícias militares são autorizadas.
Segundo o Exército, o Quadro de Dotação para as Polícias Civis — que regula quem pode ter que tipo de arma — não autoriza a corporação a usá-la. O Exército não informou se existe alguma punição pelo uso indevido.
Sampaio explica que, originalmente, a MAG foi desenvolvida para ser usada em guerras, devido a seu poder de fogo. O treinamento para usá-la é fundamental.
— Ela é para a guerra, por conta de seu poder de fogo. Você tem condições de manter o fogo por muito tempo, com concentração grande de tiros, através de rajadas.


fonte: jornal extra