quinta-feira, 23 de maio de 2013


Comitê do Congresso barra visto

permanente a brasileiros nos EUA


Objetivo é forçar o Brasil a extraditar mulher que matou marido nos EUA.
Proposta aprovada na quarta (22) ainda deve ser votada em plenário.


Uma comissão da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou o projeto de lei do democrata Tom Ryan que pretende restringir vistos permanentes a brasileiros cancelando fundos ao Serviço de Imigração e Cidadania, que faz a emissão. A proposta, que ainda será votada em plenário, não afeta os vistos temporários, como os de turismo e os de trabalho.
Segundo nota divulgada pela comissão na quarta (22), o projeto é uma forma de protesto para a extradição de uma brasileira, que matou o marido, um soldado norte-americano, e depois fugiu para o Brasil. Hoje, ela vive no país, que, segundo Ryan, não aceitou pedido dos EUA para que a extraditassem para responder a processo criminal.
Cláudia Hoerig é acusada de matar o seu marido, Karl Hoerig, oficial da reserva das Forças Armadas dos EUA que participou de 200 operações no Iraque e no Afeganistão. Segundo a acusação, Cláudia teria alvejado o marido no dia 15 de março de 2007 dentro de casa, na pequena vila de Newton Falls, no condado de Trumbull, em Ohio.
O projeto de lei, que pretende colocar o caso em foco no Congresso para que a brasileira seja extraditada, foi posto em votação há seis anos por Tom Ryan. "Essa é só uma forma de chamarmos a atenção para esse caso", disse Ryan. E acrescentou que espera que os brasileiros "tomem consciência do que está acontecendo e ajudem" para que as "boas relações" com os Estados Unidos continuem.
O democrata informou que também está trabalhando para cancelar a ajuda externa ao Brasil e alguns contratos com empresas brasileiras.
Ryan disse que não sabe o quanto de dinheiro é gasto a cada ano para que o país emita vistos para brasileiros, mas falou que com certeza a sua proposta irá acabar com esses gastos. "Isso só se tornará mais doloroso se o Brasil continuar não querendo extraditar Claudia Hoerig.

fonte: G1