sábado, 25 de maio de 2013


Ações de Eike Batista têm perdas de até 90%



Empresas de Eike Batista passam por momento difícil
Empresas de Eike Batista passam por momento difícil Foto: Ismar Ingbe / Agência O Globo


O mercado financeiro não perdoa nem mesmo quem tem Luma de Oliveira no item “ex-mulher” do seu currículo. Eike Batista está passando por um momento difícil em seus negócios. As ações das seis empresas dele que são negociadas na Bolsa de Valores tiveram perdas de até 90,4% desde o lançamento. Foi o que aconteceu com os papéis da OSX, que atua na indústria naval. Além de muito dinheiro — o Grupo EBX teve prejuízo superior a R$ 1 bilhão no primeiro trimestre de 2013 —, isso custou a Eike 93 posições no ranking dos bilionários da revista americana “Forbes”. Ele caiu da 7ª posição em 2012 para a 100ª este ano.
Segundo especialistas, a redução do império de Eike se deve a fatores externos, como as crises econômicas nos Estados Unidos e na Europa, e internos, como as metas não alcançadas pelo grupo.
— Em 2012, o relatório de produção da OGX mostrou que a produção em dois campos de petróleo, que havia sido estimada em 20 mil barris por dia, seria de cinco mil barris. Como todas as empresas dele são interligadas, umas têm contratos com outras, aquilo prejudicou o grupo inteiro — explica Claudio Gonçalves, professor do MBA de Gestão de Riscos da Trevisan Escola de Negócios.
Educador financeiro do site de auxílio a investidores Bastter.com, Cassio Younis destaca que as empresas de Eike estão vivendo um confronto. Segundo ele, como o empresário não entregou o que se imaginava, os investidores ficaram desconfiados e tiraram o seu dinheiro:
— O mercado é movido por perspectivas. Mas, quando se sai da fantasia para a realidade, a cobrança é maior.



fonte: extra online