terça-feira, 30 de abril de 2013

Vereador quer proibir sacrifícios de animais em rituais.


Vereador quer proibir sacrifícios de animais em rituais


  • Marco Aurélio Martins | Ag. A TARDE
    Vereador que proibir sacrifícios de animais
O vereador Marcell Moraes (PV), eleito sob a causa de defensor dos animais, propôs um projeto de lei que proíbe o sacrifício de animais em rituais de Candomblé. Segundo o verde, o projeto nada tem a ver com religião e visa acabar com a tortura de animais nos cultos e sugeriu que a oferenda seja substituída por plantas ou folhas.
Segundo ele, isso é questão de costume e com o passar do tempo a ausência do rito com animais será uma coisa normal. Ele destacou que a matança pode influenciar crianças e, no futuro, elas podem achar normal maltratar animais.
"Os orixás são entidades boas e todos nós sabemos que matança de animal não é uma coisa boa. Eles vão entender", justificou. "Todo mundo achava bonito criar passarinho em gaiola, animais de circo e galos de briga. Há a tendência de mudança. Daqui a 20 ou 30 anos, a ausência dos sacrifícios será uma coisa comum".
Contra
Para o antropólogo Ordep Serra, o projeto de lei que proíbe o sacrifício de animais no Candomblé é uma tentativa de impedir a liberdade de culto. "O sacrifício de animais no candomblé não é um ato de violência. O que faz parte do rito é a parte 'incomestível' do animal. Todo o restante é consumido pela comunidade. Antes de ser sacrificado, reza-se por aquele animal", explicou.
Serra disse que o tipo de alegação feita no projeto de lei é semelhante a feita pelos nazistas quando perseguiam os judeus.
Nas redes
O caso ganhou, ainda, repercussão nas redes sociais. Em seu perfil no Facebook, o médium baiano José Medrado criticou a iniciativa do vereador. "É preciso conhecer, para não satanizar a religião de ninguém", afirmou.
Em sua postagem, Medrado questionou a intenção do projeto. "Todas as partes do animal vão servir de alimento, nada é jogado fora. O couro do animal é usado para encourar os atabaques, o animal inteiro é limpo e cortado em partes; algumas partes são preparadas para os orixás e o restante é destinado aos demais", argumentou.
No dia 24 de abril, Marcell Moraes teve aprovado, por unanimidade, pela Câmara Municipal de Vereadores, seu projeto de lei que proíbe a venda de animais em pet shops de Salvador. Ele comentou em sua página no Facebook que a postagem sobre o projeto teve sete mil compartilhamentos na rede.
A proibição de vender animais em pet shops ainda precisa ser sancionada pelo prefeito ACM Neto para se tornar lei, o que deve acontecer entre 15 e 90 dias.
fonte: atarde online.