segunda-feira, 29 de abril de 2013


Bernardo, do Vasco, depõe sobre suposta tortura ordenada por traficante


Bernardo deixa a delegacia
Bernardo deixa a delegacia Foto: Thiago Lontra / Extra
Rafael Soares
Tamanho do texto A A A
O jogador Bernardo, do Vasco, foi prestar depoimento na 21ª DP (Bonsucesso) no início da tarde desta segunda-feira. Ele chegou à delegacia às 12h30m, acompanhado de dois advogados, e ficou por volta de duas horas na presença do delegado José Pedro da Costa, titular da 21ª DP. A polícia investiga a suposta sessão de tortura a que o jogador teria sido submetido, junto com Dayana Rodrigues, de 23 anos, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, pelo traficante Marcelo Santos das Dores, o Menor P. O bandido, que teve um relacionamento com Dayana, teria ficado com ciúmes do jogador por conta de um suposto caso entre Bernardo e a jovem.
Bernardo caminhando para o carro
Bernardo caminhando para o carro Foto: Thiago Lontra / Extra
O delegado José Pedro não revelou o teor do depoimento do atleta.
- Bernardo dará uma coletiva amanhã (terça-feira) - limitou-se a dizer.
Bernardo foi ouvido por cerca de duas horas
Bernardo foi ouvido por cerca de duas horas Foto: Thiago Lontra / Extra
O depoimento de Bernardo ocorreu pouco mais de uma semana de pois de ter sido submetido a uma suposta sessão de torura na Maré. O episódio foi relatado à diretoria do Vasco e acabou vazando no fim da última semana. Muito abalado com os fatos, o meia chegou a dizer que não se responsabilizaria pelo que acontecesse, caso sua família tomasse conhecimento da suposta agressão.
Sessão de tortura agora é negada por Bernardo e por família de Dayana
Dayana: uma das várias namoradas do bandidão da Maré
Dayana: uma das várias namoradas do bandidão da Maré Foto: Reprodução
A família de Dayana já esteve ne delegacia, no fim da semana passada, e alegou que todos os tiros que a acertaram foram balas perdidas. Já Bernardo negou ter sido agredido em recados deixados em redes sociais.
Bernardo e Dayane teriam sido flagrados por bandidos na Favela Salsa e Merengue e levados para o Morro do Timbau. Lá, os dois teriam sido amarrados com fita crepe, torturados e espancados. Dayana levou sete tiros nas pernas e nos pés. Bernardo teria sofrido tortura psicológica e levado choques.
A agressão teria ocorrido porque a jovem seria uma das seis namoradas do traficante Menor P, chefe do tráfico na Maré e sucessor do traficante Matemático, morto no ano passado. Na comunidade, Menor P é temido pelos moradores. Pela polícia, é visto como um sanguinário. O envolvimento de Dayana com um jogador famoso teria despertado ciúme no traficante.



fonte: jornal extra.